quarta-feira, 5 de maio de 2010

A vida é um espelho... em ti me reconheço.






Olho para minhas mãos e observo cada linha, cada sinal. Em cada traço uma jornada, uma vitória e uma derrota. Em cada marca um pouco de mim: os caminhos que eu tracei; os que já vieram traçados e todo um caminho pela frente. Percebo que cada linha ali eu desejei, formatei, forjei em mim mesma; cada linha eu criei com minhas ações, com meus pensamentos, com o poder da minha mente.

Percebo também que as linhas que ainda estão a se formar eu também posso moldar; e as linhas que não existem eu posso criar; com minhas ações, meus pensamentos e o poder da minha mente.
E se faço isto com as minhas mãos posso fazer com tudo o que há em mim e além de mim. Posso co-criar, recriar, influenciar, alimentar, posso estimular tudo o que projeto em mim nas outras pessoas através de minhas ações, meus pensamentos e com o poder da minha mente.

E ao observar o meu rosto no espelho percebo que ali também estão as linhas, as marcas de cada jornada. O que há fora de mim e o que há dentro de mim se misturam, e se refletem no espelho. Eu crio as minhas realidades internamente e as projeto além de mim, em tudo. Porque o que há em mim e a minha volta são unos.

E assim também é com as pessoas que estão a minha volta. O tempo todo passamos olhando em espelhos. Quando me aproximo do espelho e me vejo como sou, também vejo as pessoas que estão próximas de mim. Olho para elas e me vejo no espelho; porque a vida é assim.

A vida é um espelho. Relacionamentos são espelhos. Perto de mim estão todos os meus espelhos, com todos os sinais, linhas, marcas, com todas as formas internas e externas também.

Então se o outro é um reflexo de mim, se o que está dentro de mim é igual ao que está fora, eu também posso mudar esta realidade.

Para que haja coerência entre o que está fora e o que está dentro, para que eu tenha fora exatamente aquilo que desejo e busco, tenho que primeiro criar esta realidade internamente, e aprender a refletir esta realidade nos meus espelhos, refletindo os melhores aspectos de mim no outro.

Você é meu espelho, você me mostra todos os meus aspectos internos, os que gosto e os que não gosto. Tenho que aprender a lidar com eles, tenho que aprender a amá-los, e transformar aquilo que não gosto em uma realidade mais plena.

Se você é meu espelho e não vejo o lado luz, então preciso mudar isto também em mim. 
Se eu quero ver o que é belo refletido no espelho tenho que primeiro buscar estes aspectos dentro de mim.

Tenho que transformar e moldar meus espelhos como moldo as minhas mãos.

Espelhos também irradiam, refletem e se “espelham” entre si. E o que é que eu quero ver? O que eu quero “espelhar”? Qual realidade quero transformar?

Eu quero ver no espelho do outro também seus melhores aspectos, em sintonia com os meus. Eu quero brincar com os espelhos, quero refletir em mim e refletir no outro, frente a frente, cada qual com seu brilho e se reconhecendo em inúmeros aspectos.

“Espelho, espelho meu, há alguém no mundo refletindo a mesma imagem que eu? Traga para perto de mim esta persona-espelho, para que eu aprenda com ele.”

Eu quero o meu espelho diante do seu, refletindo uma mesma imagem. Aquela que eu sei que há em mim e sei que há em você, pois eu a vejo em meu espelho, e também vejo no seu. Este brilho existe, esta luz existe em você. Mostre-me a luz. Mostre-me a tua luz. É esta persona-espelho que eu quero ver porque é neste espelho que eu me reconheço, em ti me reconheço e é este que eu Amo.


Mantenha seus espelhos limpos e luminosos, para que você sempre possa ver e refletir os melhores aspectos de ti. Para que você possa sempre ser um aprendiz e um mestre com teus espelhos.

Brinque com os teus espelhos, e integre-se a eles.

Namasté.

Elena Públio